Se ainda não marcou as suas férias ou pretende fazer uma escapadinha em breve no norte de Portugal, pode fazer um roteiro pelas cidades do Porto e de Braga, onde não faltam experiências locais memoráveis.

Segredos do Porto 

No centro da cidade, pode visitar a Capela de Santa Catarina, cujos azulejos azuis e brancos darão bonitas fotografias para mais tarde recordar. Esta igreja é do século XVIII e, em 1929, todo o exterior estava coberto de azulejos, fruto do trabalho do pintor e ceramista Eduardo Leite. Os painéis de azulejos representam cenas da vida de São Francisco de Assis e de Santa Catarina.

A livraria Lello também é um lugar muito especial para visitar. Com uma fachada inconfundível em estilo neogótico e as suas escadas interiores e grandes estantes em madeira, merece o título de livraria mais bela do mundo que muitos lhe atribuem. Além disso, este lugar leva-nos a mergulhar no universo de Harry Potter, por se assemelhar à livraria Flourish and Blotts, em Diagon Alley.

Poderá descobrir também o renascimento da era romântica portuguesa no Museu Romântico da Quinta da Macieirinha. Com vista para o rio Douro, esta mansão dos fins do século XVIII está rodeada pelos majestosos carvalhos e plátanos dos jardins do Palácio de Cristal. Lá dentro, são recriados os característicos interiores e estética da burguesia da época. A mansão, que serviu de casa a vários membros da nobreza, foi inaugurada como museu em 1972. E quem foi o seu residente mais famoso? O Rei Carlos Alberto, monarca exilado da Sardenha e de Piemonte, que viveu lá nos anos que precederam a sua morte em 1849.

Outro ponto de passagem obrigatório é a típica Rua das Flores, uma das mais bonitas e movimentadas do Porto. Repleta de restaurantes e lojas tradicionais, foi edificada em 1521, por ordem do Rei D. Manuel I. Nos terrenos onde foi construída abundavam hortas e jardins, o que explica o seu nome. É uma belíssima forma de descer até à Ribeira do Porto, entrando nas lojas e admirando a arquitetura dos edifícios recentemente recuperados.

Tábua Rasa
Tábua Rasa créditos: Susana Sousa Ribeiro

Para experimentar a gastronomia local, pode passar pelo restaurante Tábua Rasa, na Rua da Picaria, um restaurante 100% português, conhecedor dos melhores queijos, enchidos e conservas tradicionais. Os produtos vêm diretamente das mãos dos pequenos produtores para a mesa, proporcionando uma experiência com os melhores sabores e segredos de Portugal. É o lugar ideal para celebrar as origens, tradições, cultura e herança gastronómicas.

Se preferir, também poder provar a Francesinha, um dos pratos nortenhos mais famosos. O restaurante “A Regaleira” é conhecido por muitos como a casa “original” da Francesinha. Se estiver a desfrutar da sua estadia no Porto, passe por lá.

E não se pode esquecer das Caves do Vinho do Porto, localizadas em Vila Nova de Gaia, onde poderá provar alguns vinhos. O motivo principal para as caves se localizarem em Vila Nova de Gaia, em vez do Porto, deve-se a fatores climáticos. No entanto há uma outra versão. No século XIII, o Bispo do Porto tinha o direito de cobrar a chamada “portagem da terra”, que incluía, entre outros, uma percentagem do valor de todos os objetos comprados no Porto pelas pessoas de fora da cidade e do valor comercial de todos os produtos que entravam no Porto para serem vendidos. Com o objetivo de desviar parte do comércio marítimo da cidade do Porto, uma vez que apenas a Igreja Católica e o Bispo do Porto beneficiavam do mesmo, o rei D. Afonso III concedeu a carta de Foral a Gaia (mais tarde, da junção com a Villa Nova, deu origem à cidade de Vila Nova de Gaia). Desta forma, para tentar escapar a estes impostos, os comerciantes do vinho do Porto rapidamente construíram as suas caves em Vila Nova de Gaia.

Segredos de Braga 

Descobertas em 1977, as ruínas das termas romanas de Maximinus e do seu anfiteatro remontam à segunda metade do século I. Há muito tempo, eram os banhos públicos da cidade de Bracara Augusta (mais tarde, Braga), o centro da província romana de Gallaecia. Para os romanos, os banhos públicos representavam um local de convívio, de relaxamento e bem-estar. Os rituais envolviam exercício físico, banhos quentes e frios, saunas e massagens com óleos aromáticos. Certifique-se de que vê a apresentação no centro de visitantes para compreender melhor como era este fantástico complexo no seu apogeu.

Igreja de Santa Cruz
Igreja de Santa Cruz créditos: Susana Sousa Ribeiro

Também pode visitar a Igreja de Santa Cruz e tentar descobrir os galos que estão esculpidos na fachada. Se passar por lá e vir várias pessoas com o pescoço torcido, já sabe o que estão a fazer. Diz a lenda que “moça casadoira” que se preze tem de ver os 3 galos na fachada desta igreja – caso contrário, corre o risco de não concretizar o tão sonhado casamento.

Braga é uma cidade que permite um contacto próximo com a natureza e, por essa razão, uma subida ao Monte do Picoto pode ser uma experiência revigorante. Bata seguir o caminho de madeira rústico até ao miradouro. O que vai conseguir ver? Toda a cidade de Braga numa gloriosa vista panorâmica de 360 graus. É o sítio perfeito para fazer um piquenique ao mesmo tempo que desfruta da vista da cidade e das suas encostas verdejantes. Tire fotografias, pois é um sítio que não vai querer esquecer.

O Santuário do Bom Jesus do Monte é outro lugar de visita obrigatória, onde poderá descobrir um domínio de graciosas ruas e frondosos jardins cheios de estátuas resplandecentes. Pode fazer a subida de 300 metros num funicular do século XIX, mas a escadaria barroca vale bem a pena. Os 17 patamares estão repletos de fontes e pequenas capelas adornadas com esculturas em terracota. Um segmento das escadas em ziguezague serve de homenagem aos cinco sentidos. E o que vai encontrar lá em cima? Uma basílica neoclássica e vistas da cidade de Braga de cortar a respiração.

Bom Jesus do Monte
Bom Jesus do Monte créditos: Mercure

Em relação à gastronomia local, pode experimentar o Restaurante pPlace, junto à Sé de Braga. Desfrute dos melhores vinhos e queijos regionais ou de pratos com inspiração na gastronomia portuguesa. Para sobremesa, deixamos uma sugestão irresistível: Pudim Abade de Priscos, o pudim de Braga. É uma das sobremesas mais conhecidas e deliciosas de Portugal, tendo sido criada por Manuel Joaquim Rebelo, conhecido por Abade de Priscos. Este abade católico ganhou destaque na gastronomia portuguesa pelo seu talento na cozinha e, sendo natural da região de Braga, a sua receita mais conhecida ficou para sempre associada à cidade.

Em ambas as cidades pode ficar alojado num dos hotéis Mercure, cujas equipas estão preparadas para revelar as histórias locais mais surpreendentes, dos lugares ocultos às lendas mais fascinantes. Através das “Local Discoveries”, os hotéis pretendem promover uma inspiração local. Os hotéis Mercure tornam-se, assim, ponto de partida para que cada cliente conheça de forma única a cidade onde se encontra.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.