A visita à Turquia era um desejo de longa data, daqueles que por um motivo ou outro vão ficando adiados, mas que sabemos que vão acontecer. É um país repleto de história, beleza, destinos e atividades inimagináveis que nos transportam de imediato para outra dimensão, a do sonho, e nada melhor num destino que nos fazer sonhar vezes sem conta.

Tratando-se de uma primeira visita, era inevitável começar por Istambul, a vibrante metrópole herdeira de civilizações, o local onde a Europa e a Ásia se encontram, antiga capital do Romano Oriental (Bizantino) e dos impérios Otomanos, querem melhor cartão de visita?

A península histórica de Istambul foi o centro social e politico dos impérios Romano e Otomano oriental, foi aqui que escolhemos começar a nossa aventura e o processo de descoberta da fantástica Istambul. Ficámos alojados na zona da Galata Tower, que se encontra a menos de 10 minutos a caminhar da peninsula histórica, basta, para isso, atravessar uma das pontes sobre o “Golden Horn”, o estuário que divide o lado europeu da cidade.

A melhor forma de conhecer a península histórica é a caminhar pelas ruas, desta forma evitamos o trânsito infernal de uma cidade com mais de 16 milhões de habitantes e aproveitamos para conhecer mais de perto as suas gentes e absorver alguma desta cultura milenar com a maior proximidade possível. O bairro é o local perfeito para descobrir as riquezas históricas da cidade, o seu património arquitetónico, e apesar da sua topologia – à semelhança de Lisboa, Istambul também é conhecida como cidade das sete colinas – conseguimos fazer umas caminhadas longas e muito agradáveis.

Ocupando uma área rodeada por Haliç, a norte, Bósforo a leste, Mármara a sul, a península histórica é o local onde encontramos o sítio arqueológico de Sultanahmet (mesquita azul), onde se inclui o hipódromo, Hagia Sophia, Hagia Irene, Palácio de Topkapi, Área de Conservação de Süleymaniye, incluindo mesquita de Süleymaniye e arredores, Área de Conservação de Zeyrek, incluindo a Mesquita de Zeyrek e arredores e área de conservação das Muralhas da Cidade de İstambul.

Istambul: um guia essencial para descobrir a cidade secular repleta de história e amor
Hagia Sophia. Foto: DR

Dedicámos especial atenção à Hagia Sophia, edifício do século VI, facilmente reconhecível pela cúpula e colunas de mármore coloridos. Foi construído no local da acrópole do Império Romano Oriental pelo Imperador Justiniano (532-537 d.C.). Domina o horizonte de İstambul, este edifício foi expandido e restaurado várias vezes ao longo dos séculos, apresenta mosaicos romanos orientais e originais exemplos de caligrafia otomana. Hagia Sophia foi considerada Património Mundial da UNESCO em 1985, sob o título “Áreas Históricas de Istambul”. Um dos mais antigos santuários sagrados do mundo, edifício inspirador. Hoje em dia é uma das mesquitas mais frequentadas do mundo.

A curta distância, encontramos o Palácio Topkapi, que pertenceu ao Império Otomano durante quase quatro séculos. Serviu como residência principal e sede administrativa dos sultões otomanos, assim como de centro educacional e cultural do Império Otomano. Mehmet, o Conquistador, construiu a primeira etapa do palácio pouco depois da Conquista em 1453 e viveu aqui até morrer em 1481. Os sultões subsequentes viveram neste ambiente raro até ao século XIX, quando se mudaram para os ostensivos palácios de estilo europeu que construíram nas margens do Bósforo.

É tão fácil apaixonarmo-nos por esta história, são locais únicos, com uma história única e preservados de forma brilhante.

Adoramos combinar cultura, com gastronomia, arte, arquitetura e comércio local, dessa forma tínhamos de visitar os famosos mercados (Bazaar) Turcos. Almoçámos no tradicional Restaurante Pandeli Istambul, em pleno mercado Egípcio ou Spice Bazaar (Mısır Çarşısı em turco), construído em 1664 como parte do complexo da Nova Mesquita. Tem 85 lojas e o produto estrela são as especiarias, os frutos secos, artesanato e as delícias turcas (Turkish Delight). As ruas que circundam o mercado fervilham em comércio, uma multiplicidade de cores, cheiros e estilos, onde podemos fazer das melhores compras na cidade.

Istambul: um guia essencial para descobrir a cidade secular repleta de história e amor
Grand Bazaar. Foto: DR

O Grand Bazaar foi o seguinte, um dos maiores destinos de compras do mundo, provavelmente o maior mercado coberto do mundo, mais de 4000 lojas distribuídas por um labirinto de ruas que se estende por mais de 31 mil metros quadrados, uma cidade dentro da cidade. O mercado é também mais uma oportunidade de explorarmos melhor a vida otomana, local perfeito para comprar tapetes e kilims turcos, cerâmicas iznik e kütahya - mundialmente famosas, todo o tipo de têxteis, joias e gastronomia.

Passamos a uma das novas atrações da cidade, Galataport İstanbul, pensado originalmente para ser um porto de cruzeiros, mas acabou por ser muito mais do que isso. A atividade ligada aos cruzeiros foi colocada num enorme terminal subterrâneo, deixando a costa livre para um novo centro de arte, cultura e design, são mais de dois quilómetros de pura diversão onde não faltam o comércio e a restauração.

Algumas centenas de metros adiante começa a lendária zona de BEBEK: um longo passeio à beira mar onde encontramos lojas e hotéis de luxo, restaurantes (sempre cheios), boutiques exclusivas e as casas mais caras da Turquia. Sente-se no ar e no mar (basta olhar para a linha de costa e os seus imensos iates atracados) que estamos numa zona especial que nos guia, em uma hora de caminhada, até à Fortaleza de Rumeli.

A Fortaleza de Rumeli foi construída ao longo do Bósforo por Mehmed II e foi usada pelas forças otomanas para conquistar Istambul em 1453. Até hoje, continua a ser um dos locais mais bonitos da cidade.

Voltamos ao centro histórico de Istambul, mais concretamente à zona de Balat – Fener, um importante bairro de Istambul onde coexistem identidades culturais mistas. Localizado dentro das famosas muralhas da cidade do século V de Istambul, o bairro tem sido o berço de estilos arquitetónicos interessantes e autênticos desde o século XIII.

Istambul: um guia essencial para descobrir a cidade secular repleta de história e amor
Bairro Balat. Foto: DR

Além de edifícios religiosos famosos como a Igreja Ortodoxa Búlgara, Sinagoga de Ahrida, Mesquita Hazrat Jabir e o Patriarcado Ortodoxo Fener, entre outros, o distrito também é famoso pela sua arquitetura residencial que remonta ao século XIX. Embora a arquitetura original de madeira tenha dado lugar à alvenaria de pedra e mais tarde a edifícios de betão, principalmente por causa dos incêndios, ainda existem muitos edifícios antigos na zona. As casas e ruas coloridas são outra das suas atrações. Hoje em dia é palco de autênticas romarias maioritariamente feitas por jovens à procura da foto perfeita para a as suas redes sociais.

Balat -Fener é uma zona obrigatória para quem visita Istambul, o antigo bairro Grego e o antigo bairro Judeu numa combinação de ruas, becos, edifícios, comércio e muita cultura que não podemos perder.

 A Praça Taksim e os seus arredores constituem hoje a parte mais cosmopolita de Istambul, a famosa Rua İstiklal, historicamente conhecida como a Grande Rue de Pera, tem cerca de dois quilómetros pautados por famosas arcadas neoclássicas, com uma variedade de lojas fantásticas que vão desde roupas vintage a cerâmica artesanal, restaurantes, confeitarias, pastelarias e pubs. O antigo elétrico da cidade ainda funciona nesta rua e é uma das grandes atrações.

A Rua Istiklal conduz-nos até à zona de Galata, uma das zonas que mais gostámos, as lojas de comércio tradicional, galarias de arte, restaurantes, escadarias e praças todas elas à volta da estrela principal, a Torre Galata!

Istambul: um guia essencial para descobrir a cidade secular repleta de história e amor
Rumeli Fortress.Foto: DR

A Torre de Galata (Galata Kulesi) é uma torre medieval localizada no bairro que lhe dá o nome, construída em 1348 pelos genoveses e chamada Christea Turris (Torre de Cristo) na era medieval, a Torre Galata foi a estrutura mais alta da cidade durante séculos. Hoje em dia, a Torre é um museu e um posto de observação com uma vista de 360 graus sobre a cidade. Para visitar convém ir cedo porque é também um dos monumentos mais procurados da cidade.

Em 2013, a Torre Galata foi incluída pela UNESCO na lista temporária do Património Mundial da Turquia.

Istambul tem imensas escadarias, talvez as mais famosas sejam as Escadas Kamondo Locadas, ainda na zona de Galata – Karaköy. As Escadas Kamondo são uma estrutura histórica  (1850), foram construídas em estilo Art Nouveau e dedicadas a Abraham Salomon Kamondo.

Não podíamos sair de Istambul sem o famoso passeio de barco pelo Bósforo, estreito que conecta o Mar Negro com o Mar de Mármara, separando Istambul em duas partes: a europeia e a asiática. O comprimento total do estreito é de 30 quilómetros e a largura vai dos 700 metros até quase quatro quilómetros da saída para o Mar Negro.

O Passeio começa no Golden Horn (junto à zona da Ponte Galata) e segue até à ponte Fatih Sultan Mehmet, junto ao Forte Rumeli. Durante o percurso pelo Bósforo podemos observar que a vida e animação da cidade vai muito além do seu centro, assim como a sua arquitetura deslubrante, comprovado pelas enormes propriedades e palácios (entre eles Bylerbeyi, Ciragan e Dolmabahçe) que encontramos ao longo da costa.

Istambul apaixona, inspira e cativa de imediato, foi o primeiro capítulo na nossa história turca que seguirá dentro de momentos.

Sigam as nossas aventuras no Instagram Viagensa4 e em Viagensa4.com

*A Viagensa4 viajou a convite da Turkish Airlines e com o apoio do Turismo da Turquia.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.