Lançada na terça-feira, a campanha #OpenThailandSafely conta com o apoio de mais de 15 grandes empresas e espera dar as boas-vindas aos turistas internacionais de volta à Tailândia a 1 de julho.

A campanha argumenta que 1 de julho é uma data apropriada por vários motivos: a maioria dos cidadãos em muitos destinos de origem terá sido vacinada até então; dá tempo às autoridades médicas tailandesas para vacinarem os funcionários da linha da frente na Tailândia e/ou cidadãos vulneráveis em todo o país; dá aos viajantes internacionais tempo para fazer planos de viagem e reservas; a data dá tempo para as companhias aéreas, hotéis, operadoras de turismo e outros iniciarem o marketing e as vendas e se prepararem para o início das operações turísticas. Estimam ainda que a Tailândia demorará pelo menos um ano, ou talvez mais, para voltar ao grande número de visitantes internacionais que tinha antes da crise da COVID-19.

"A reabertura a 1 de julho seria uma oportunidade estratégica para a Tailândia mostrar um papel de liderança entre os países asiáticos e preparar o caminho para uma sólida recuperação da economia tailandesa em 2022", disse o CEO da YAANA Ventures, um dos grupos de apoio à campanha, Willem Niemeijer, em comunicado à Travel + Leisure.

A campanha apresentou os seus argumentos numa petição que apoiará um pedido formal ao governo da Tailândia para responder favoravelmente ao lançamento dos programas de vacinação contra a COVID-19 em andamento na Europa, EUA e outros mercados de turismo da Tailândia.

Para garantir a reabertura segura, a petição argumenta que “os turistas internacionais podem ser obrigados a cumprir quaisquer salvaguardas que o governo tailandês possa exigir. Isso pode incluir, por exemplo, mostrar prova oficialmente reconhecida de vacinação contra a COVID-19 no seu país de origem, compra de seguro saúde ou prova de teste negativo, entre outros".

A petição está aberta a qualquer pessoa, na Tailândia ou em qualquer parte do mundo, que gostaria de ver o país reabrir.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.