A ideia é que o caminho para um futuro sustentável começa com as pequenas decisões que tomamos todos os dias e Justin Keeble, Managing Director de sustentabilidade na Google Cloud, reconhece que as organizações querem compreender melhor como ser  mais sustentáveis e tomar decisões que tenham um impacto significativo. E para isso precisam de ferramentas e de dados.

O tema está em destaque hoje no Google Cloud Sustainability Summit e a tecnológica tem uma série de propostas de novas ferramentas, ou do alargamento de soluções já existentes, e novos dados que pretendem promover a sustentabilidade nas organizações.

Na semana passada a Google já tinha anunciado duas ferramentas de informação climática para o sector público com o Google Earth Engine. Estas ferramentas pretendem ajudar as instituições a compreender melhor os riscos para a infraestrutura e os recursos naturais devido às mudanças climáticas e a "transformar a maneira como gerem os recursos físicos e naturais, ajudando-os a tornarem-se mais resilientes nas questões climáticas", explica Justin Keeble num post publicado no blog da Google.

O Google Earth Engine, foi  lançado originalmente para cientistas e ONGs em 2010, e é agora aberto a todas as organizações, dando acesso a tecnologia de monitorização ambiental numa  escala planetária e combinando dados de centenas de satélites e outras fontes com recursos de computação em cloud. A plataforma tem um dos maiores catálogos de dados disponíveis publicamente e um arquivo global de dados que conta com informação de mais de 50 anos, sendo atualizado a cada 15 minutos.

Um novo programa piloto vai permitir também aos clientes da Google ter acesso a ferramentas que a tecnológica desenvolveu para as suas metas internas de sustentabilidade. Com acesso a dados históricos e em tempo real, e com informação regional e horária, os utilizadores podem ter uma visão clara do seu perfil de emissões de eletricidade. "Estamos entusiasmados em começar a partilhar insights sobre energia sem carbono 24 horas por dia, 7 dias por semana com nossos clientes do Google Cloud através de um novo programa piloto", afirma o gestor de sustentabilidade na Google Cloud.

O anúncio hoje é também a expansão da suite Carbon Sense, com novos dados e a expansão da cobertura de relatórios para tornar mais fácil para arquitetos e administradores de Cloud darem prioridade à sustentabilidade. A Google já tinha anunciado o Carbon Footprint para o Google Cloud para medir e reportar os impactos ambientais do uso da cloud e pretende no próximo ano alargá-lo ao Google Workspace, permitindo fazer relatórios semelhantes para as emissões associadas a produtos como o Gmail, Meet, Docs e outros

A tecnológica está também a apostar no programa de parcerias com dois novos programas que dão acesso a ferramentas e informação que podem ajudar os parceiros a alcançarem as suas metas de sustentabilidade. Foi anunciado também o Google Cloud Marketplace Sustainability Hub para acesso a soluções de sustentabilidade validadas, que estará disponível em breve.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.