Ainda existem barreiras linguísticas e a Internet está longe de ser acessível a todos os povos do mundo, especialmente os que não dominam as línguas principais, mas a Meta quer ultrapassar estes obstáculos e está a desenvolver um modelo de tradução automática que já suporta 200 idiomas e que garante que é mais eficiente do que a geração anterior.

“Acabámos de abrir um modelo de IA que construímos que pode traduzir em 200 idiomas diferentes - muitos dos quais não são suportados pelos sistemas de tradução atuais. Designámos o projeto de No Language Left Behind, e as técnicas de modelagem de IA que usamos estão a ajudar a fazer traduções de alta qualidade para idiomas falados por milhares de milhões de pessoas em todo o mundo”, explica Mark Zuckerberg num post publicado no blog da Meta.

O NLLB-200 tem mais de 50 mil milhões de parâmetros e é treinado com o novo supercomputador da Meta, o Research SuperCluster. “Os desenvolvimentos permitirão mais de 25 mil milhões de traduções todos os dias nas nossas aplicações”, afirma o criador do Facebook.

Segundo os dados partilhados, há milhares de milhões de pessoas que não conseguem aceder aos conteúdos digitais ou participar plenamente em conversas e comunidades online nos seus idiomas preferenciais ou nativos, especialmente os que usam idiomas africanos e asiáticos.

Para apoiar o desenvolvimento e garantia de qualidade foi criado um modelo de avaliação, o FLORES-200, e a Meta assegura que está a abrir em open source o código das duas plataformas, o que pode ajudar os investigadores a melhorarem as suas ferramentas de tradução.

A ideia é que quando um utilizador do Instagram ou do Facebook encontrar uma publicação em igbo ou luganda possa conseguir compreendê-la no seu próprio idioma com apenas o clique de um botão. A tecnologia será usada também para ajudar a detetar conteúdos prejudiciais e desinformação, evitar manipulação de propaganda eleitora e e reduzir casos de exploração sexual e tráfico de pessoas online.

A empresa fez uma parceria com a Wikimedia Foundation, a organização sem fins lucrativos que suporta a Wikipédia e outros projetos de conhecimento livre, para ajudar a melhorar os sistemas de tradução na enciclopédia online. Existem versões da Wikipédia em mais de 300 idiomas, mas a maioria tem muito menos artigos do que os mais de 6 milhões disponíveis em inglês, sendo a disparidade mais significativa nos idiomas falados fora da Europa e da América do Norte.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.