A Microsoft vai suspender a venda de uma das suas ferramentas de reconhecimento facial, que permite identificar emoções a partir de imagens e vídeos. A solução desenvolvida pela gigante tecnologia tem vindo a ser criticada por especialistas da área.

A gigante tecnológica explica que a decisão se enquadra num conjunto mais alargado de mudanças tendo em vista uma utilização mais ética e responsável da tecnologia de Inteligência Artificial.

A empresa vai começar por limitar o acesso a certas funcionalidades dos serviços de reconhecimento facial, sobretudo àquelas que podem ser utilizadas para fins prejudiciais. Os utilizadores que queiram fazer uso do Azure Face para desenvolver soluções de identificação facial terão de passar por um processo de seleção, indicando à Microsoft quais são os seus propósitos.

Além da ferramenta de reconhecimento facial que permite identificar emoções, a Microsoft vai também fechar o acesso público a uma das funcionalidades do Azure Face que é capaz de identificar idade, género e atributos de pessoas em imagens. A empresa vai também impor restrições no acesso à ferramenta Custom Neural Voice, que recorre a IA para criar vozes.

A empresa passou a impor limites à utilização e comercialização dos serviços em questão a novos clientes desde o dia 21 de junho. No que toca aos clientes que já os utilizavam, o seu acesso será revogado a partir do dia 30 de junho de 2023.

Note-se que a Microsoft pretende continuar a utilizar algumas das ferramentas de IA visadas em certos produtos, como é o caso da app Seeing AI, concebida para ajudar pessoas com dificuldades ou deficiências visuais.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.