A Meta atualizou as regras de feedback da comunidade nas suas plataformas sociais e passou a proibir a publicação de avaliações falsas, pagas, repetidamente divulgadas (spam), ou com conteúdos ofensivos. As novas regras aplicam-se a todas as plataformas do grupo, como o Facebook ou o Instagram e os próprios utilizadores podem fazê-las valer denunciando conteúdos com estas caraterísticas, sempre que se depararem com eles.

A empresa reserva-se o direito de bloquear conteúdos que violem as novas regras, ou mesmo violar o acesso às plataformas a quem as faz. Para as empresas, a penalização pelas mesmas práticas pode trazer limitações à utilização de diferentes produtos e serviços da marca.

“À medida que mais pessoas e empresas confiam no valioso feedback dos clientes - como classificações, avaliações, recomendações e perguntas e respostas - dedicamo-nos a manter essa informação relevante e autêntica”, explica uma nota publicada pela empresa. É na sequência disso que “hoje, estamos a lançar uma nova Política de Feedback da Comunidade nos EUA, para partilhar claramente o que permitimos e proibimos no feedback dos clientes”, refere a nota de 20 de junho.

A nova política foi criada para assegurar que as avaliações publicadas nas redes sociais da empresa se baseiam em experiências reais de compra e para manter o feedback irrelevante, fraudulento e ofensivo fora das plataformas.

A empresa considera feedback fraudulento aquele que é partilhado, por exemplo, na sequência de incentivos dados pelas empresas, serviços ou produtos visados, para receberem boas avaliações ou comentários dos utilizadores. Feedback irrelevante, por seu lado, é aquele que não se baseia em experiências reais de utilização do produto ou serviço que avalia.

A Meta sublinha que mais de 200 milhões de empresas ligam-se todos os dias aos seus clientes através das suas aplicações e tecnologia. O feedback da comunidade ajuda os utilizadores a tomarem decisões de compra de confiança, sobre os produtos e ofertas destas empresas, um ativo que a tecnológica quer ajudar a preservar.

A aplicação prática das novas regras, como a própria Meta admite, pode levar tempo, já que os sistemas de machine learning que, de forma automática, vão detetando infrações às regras precisam de tempo para aprender a aplicá-las. Ainda assim, a empresa garante desde já que não haverá tratamento diferenciado para as interações dos utilizadores que avaliem negativamente produtos, serviços ou marcas. As avaliações negativas são tão legítimas, quanto as positivas, desde que não violem as regras relacionadas com a publicação de conteúdo ofensivo ou discriminatório.

Fica também o convite à denúncia de conteúdos que avaliem serviços ou produtos de forma fraudulenta ou inapropriada. Não há para já indicação sobrew a revisão da política de feedback da comunidade noutros mercados.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.