Muitos rumores que antecedem as grandes revelações tecnológicas costumam bater certo, seja qual for o mercado, smartphones, consoles ou videogames. Isto porque, por um lado, os rumores “plantados” são uma forma de aferir o interesse sobre um produto, o chamado “hype”; por outro, tem sempre alguém anônimo que fala demasiado e as informações acabam na internet.

E um dos rumores mais badalados na indústria do gaming, antes da E3, foi a possibilidade da Nintendo revelar uma nova versão da Switch, o modelo Pro, com uma tela com uma resolução 4K. Em vez disso, a Nintendo revelou a versão OLED do console, uma melhoria na tela do modelo atual, sem mexidas no hardware e que vai ser lançada no próximo dia 8 de outubro. Mas segundo a Bloomberg, o plano da Nintendo era mesmo lançar a Switch Pro, com uma placa gráfica da NVidia atualizada para oferecer resolução 4K.

A publicação afirma que identificou pelo menos 11 produtoras, como a Zynga, que chegaram mesmo a receber os kits de desenvolvimento do novo console para 4K. Na época foi mesmo falado que a partir de um certo momento, os developers deveriam produzir os jogos para a Switch preparados com uma resolução maior para o novo console.

A Nintendo não costuma comentar rumores, mas para estas informações a empresa já veio a público negar categoricamente os planos da Switch 4K, reforçando que não tem planos para um modelo Pro. “Estão a circular notícias falsas que a Nintendo está distribuindo ferramentas para o desenvolvimento de jogos para a Switch com suporte 4K. Para esclarecer os nossos investidores e clientes, queremos clarificar que as notícias não são verdadeiras”, refere a gigante tecnológica em uma mensagem no Twitter. Acrescentou ainda que tal como mencionou em julho, não tem planos para qualquer outro modelo para a Switch, que não a OLED a ser lançada no dia 8.

A Nintendo é conhecida por negar rumores até os revelar oficialmente, tal como aconteceu no passado com a 3DS e a DS. Por exemplo, respondeu aos rumores da introdução de um segundo analógico na 3DS com um simples “os jogadores não vão precisar disso no console”; mas depois lançou um acessório que acrescentava um segundo stick e mais tarde reformulou a New 3DS para o introduzir de raiz.

No caso da Switch Pro, há 11 estúdios que confirmaram à Bloomberg a existência dos kits de desenvolvimento. A resposta da Nintendo, a negar esse facto, poderá ser a sua estratégia de justificar aos seus investidores a mudança dos planos devido à crise dos semicondutores.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.