Morre o icónico humorista e escritor brasileiro Jô Soares, aos 84 anos de idade.

Representantes do artista dão conta de que este estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. A causa da morte permanece por divulgar.

O enterro e velório estão marcados para os próximos dias e serão reservados à família e amigos, contou a ex-mulher de Jô Soares, Flávia Pedras, através de uma partilha feita na rede social Instagram.

Flávia assegura que o artista partiu "cercado de amor e cuidados", declarando-se ao antigo companheiro com uma emotiva partilha.

"Assim, aqueles que através dos seus mais de 60 anos de carreira tenham se divertido com seus personagens, repetido seus bordões, sorrido com a inteligência afiada desse vocacionado comediante, celebrem, façam um brinde à sua vida", começou por declarar.

"A vida de um cara apaixonado pelo país onde nasceu e escolheu viver, para tentar transformar, através do riso, num lugar melhor. Viva você meu Bitiko, Bolota, Miudeza, Bichinho, Porcaria, Gorducho. Você é orgulho pra todo mundo que compartilhou de alguma forma a vida com você. Agradeço aos senhores Tempo e Espaço, por terem me dado a sorte de deixar nossas vidas se cruzarem", escreveu ainda, agradecendo as gargalhadas, as viagens e os muitos momentos a dois.

"Obrigada para sempre, pelas alegrias e também pelos sofrimentos que nos causamos. Até esses nos fizeram mais e melhores. Amor eterno, sua, Bitika", terminou.

José Eugênio Soares, verdadeiro nome do artista, deu cartas ainda como apresentador de televisão, escritor, realizador e ator.

Conhecido por Jô Soares, nasceu a 17 de janeiro de 1938, no Rio de Janeiro. Estreou-se no cinema e na televisão no final dos anos de 1950, como argumentista e ator, nomeadamente no Grande Teatro da TV-Tupi, atingindo sucesso maior cerca de dez anos depois quando chegou à TV Globo com o programa 'Faça Humor Não Faça Guerra', de que era ator e autor.

Portugal descobriu o autor de 'O Xangô de Baker Street' em 1981, quando a RTP passou a transmitir o seu programa de humor 'Viva o Gordo!'.

Na última publicação na sua página oficial na rede Twitter, datada de quinta-feira, Jô Soares escreveu: "Não é necessário mostrar beleza aos cegos, nem dizer verdade aos surdos. Mas não minta para quem te escuta e nem decepcione os olhos de quem te admira."

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.