Colegas e estrelas de Hollywood lamentaram esta sexta-feira a morte da diretora de fotografia Halyna Hutchins, que foi baleada quando o ator Alec Baldwin disparou uma arma cenográfica na rodagem do filme "Rust".

“Estou arrasada e tão zangada agora”, escreveu a cineasta e diretora de fotografia Rachel Morrison nas redes sociais.

"Nenhuma tomada, cena ou filme vale uma vida #RIPHalynaHutchins", acrescentou.

Hutchins, de 42 anos, participava nas filmagens do 'western' na quinta-feira no Rancho Bonanza Creek, um famoso set para filmes do estado americano de Novo México, quando o incidente ocorreu.

Após ser ferida, Hutchins foi levada de helicóptero para um hospital, onde faleceu. O diretor de “Rust”, Joel Souza, também ficou ferido, mas teve alta após atendimento de emergência num posto de saúde.

Morrison questionou o uso de balas de festim durante as filmagens.

"Por que diabos ainda estamos a usar cartuchos vazios quando custa uns 50 centavos para adicionar tiros na pós-produção? Se você não pode custear um filme com segurança, não deveria estar a fazer um", partilhou.

“Absolutamente horrorizado e devastado pelas notícias sobre a diretora de fotografia Halyna Hutchins. O meu coração está com a sua família”, declarou o ator Elijah Wood.

O realizador Adam Egypt Mortimer, que trabalhou com Hutchins no ano passado na produção de "Archenemy", disse que estava "muito triste" e “muito zangado que isso possa acontecer num set".

"Ela era um talento brilhante que estava absolutamente comprometida com a arte e o cinema", acrescentou.

A tragédia relembrou a morte de Brandon Lee, filho do lendário Bruce Lee, que perdeu a vida aos 28 anos pelo disparo de uma arma cenográfica durante as gravações de "O Corvo" (1993).

"Os nossos corações estão com a família de Halyna Hutchins e com Joel Souza e todos os envolvidos no incidente em 'Rust'. Ninguém jamais deveria ser morto por uma arma num set de filmagens. Ponto final", publicou Shannon Lee, irmã de Brandon e filha de Bruce, nas redes sociais da família.

Hutchins nasceu na Ucrânia e vivia em Los Angeles. Ela foi apontada pela revista American Cinematographer como uma das estrelas em ascensão do setor em 2019, de acordo com o site da organização.

"Halyna era talentosa e simpática. A última vez que conversámos foi em Cannes, em 2017, e ela estava a explodir com energia e entusiasmo", escreveu a jornalista de entretenimento Rebecca Keegan.

Halyna Hutchins era casada e tinha um filho.

A Ucrânia disse que o seu consulado-geral em São Francisco está a trabalhar com as autoridades dos Estados Unidos e a conversar com familiares de Hutchins "para fornecer a assistência consular e jurídica necessária".

Alec Baldwin pronunciou-se nesta sexta-feira, dizendo que está em contacto com a família e colaborando com as investigações.

"O meu coração está partido", partilhou o ator.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.