A fama pode cobrar um alto preço e certas celebridades não conseguem lidar bem com a superexposição, a invasão de privacidade, as pressões públicas, a ansiedade e o estresse de maneira saudável. Em momentos difíceis, essas estrelas recorreram às drogas e ao álcool como forma de fuga ou para amortecer suas dores, um caminho perigoso para a dependência e que pode não ter volta.

Brad Pitt decidiu ficar sóbrio após seu divórcio com Angelina Jolie em 2016 e isso significou passar um ano e meio indo aos Alcoólicos Anônimos (AA). Ele contou sobre essa história na GQ. "Eu tive um grupo de homens muito legal lá que era realmente privado e seletivo, então era seguro", compartilhou. "Porque eu tinha visto coisas de outras pessoas, como Philip Seymour Hoffman, que tinha sido gravado enquanto estava derramando suas entranhas e isso simplesmente é atroz para mim."

Ele acrescentou que também largou completamente os cigarros, depois de perceber que não é o tipo de pessoa que consegue simplesmente parar. "Eu não tenho essa capacidade de fumar apenas um ou dois por dia", disse ele à GQ. "Não está em mim. Eu sou tudo. E eu vou direto para o chão. Eu tenho perdido meus privilégios." Mas além da parte física, Pitt também precisou passar por muita cura mental e emocional. O astro compartilhou que "passou anos com uma depressão de baixo grau". Ele disse: "Eu sempre me senti muito sozinho na minha vida" e explicou que só recentemente passou a abraçar seus amigos e familiares mais plenamente.

Na galeria, relembre as batalhas de outros famosos, inclusive brasileiros, contra o vício e confira depoimentos inspiradores.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.