O "presidente Pedro Castillo disse ao seu homólogo Iván Duque e ao presidente eleito Gustavo Petro que não poderá participar da Transmissão de Mandato da Colômbia, em 7 de agosto, por decisão do Congresso, e que será devidamente representado por Dina Boluarte", indicou a chancelaria no Twitter.

"Através de cartas, o presidente expressou que a decisão do Congresso não condiz com o altíssimo valor que o Peru dá ao seu relacionamento com a Colômbia; e assegurou que continuarão a enriquecer a agenda bilateral, priorizando o desenvolvimento sustentável de nossos povos", acrescentou.

O Congresso, dominado pela direita, não autorizou Castillo a deixar o país para assistir à posse de Petro como presidente de Colômbia, em 7 de agosto.

É a primeira vez nas últimas três décadas que um chefe de Estado vê frustrada sua expectativa de viajar em missão oficial.

Os legisladores alegaram que o presidente enfrenta cinco investigações fiscais por suposta corrupção, uma situação sem precedentes no Peru para um presidente em exercício.

Castillo havia solicitado permissão para deixar o território nacional de 6 a 8 de agosto. Segundo o governo, a presença do presidente na Colômbia permitiria fortalecer os laços entre os países.

A legislação peruana obriga o presidente da República a solicitar autorização ao Congresso sempre que desejar viajar ao exterior.

cm/dg/ap/am

Twitter

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.