"Quero muito viver o momento presente em Tóquio e não me preocupar com o resultado final. Quero curtir esses jogos e apenas estar presente", explicou.

"Tenho a impressão de que não estive presente no Rio. Não senti emoção quando ganhei um título, pois rapidamente projetei o que aconteceria a seguir", acrescentou Hosszu.

"Foi por isso que não gostei muito de subir no pódio ou de ouvir o hino húngaro, porque já estava pensando no que tinha de fazer para vencer a próxima prova", revelou.

Na Rio 2016, a nadadora húngara, hoje com 32 anos, conquistou quatro medalhas, três de ouro (100 metros costas, 200 e 400m medley, com o recorde olímpico no primeiro e o mundial no segundo) e uma de prata (200m costas).

Em Tóquio, ela vai participar das provas dos de 200 e 400m medley, além dos 200m costas e 200m borboleta.

Caso seja vitoriosa na capital japonesa, Hosszu poderá igualar, ou mesmo superar, sua compatriota Krisztina Egerszegi, que conquistou cinco títulos olímpicos entre 1988 e 1996.

"Vou dar o meu melhor e vou medivertir fazendo o que faço, independentemente do resultado final", prometeu.

pmu/jw/jr/psr/dr/lca

FACEBOOK

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.