"A UEFA se coloca a questão. Nenhuma decisão foi tomado até o momento", declarou um porta-voz, após os pedidos dos treinadores de Itália, Bélgica e França, que solicitaram equipes maiores para o torneio.

O evento acontece de 11 de junho a 11 de julho.

Ontem, o treinador belga, Roberto Martínez, pediu que as equipes possam ter "26 ou 27 jogadores", devido à pandemia e às baixas por contágios, em declarações publicadas pelo jornal La Dernière Heure.

"Há conversas, principalmente com Inglaterra e Itália. Todos reagiram da mesma forma. Ampliar o grupo, por exemplo, com um jogador por linha, seria uma decisão correta", acrescentou o técnico espanhol.

O técnico italiano Roberto Mancini defendeu a mesma ideia após a vitória da Nazionale na Lituânia (2-0), nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

"Não sei se a UEFA vai nos ouvir. Acho que merece uma reflexão. Seria um problema perder jogadores durante a Eurocopa e que os possíveis suplentes estejam de férias", afirmou Mancini.

Nos últimos dias, Didier Deschamps, o técnico francês, tem lamentado o cansaço dos jogadores, que enfrentam um calendário muito carregado, em função da pandemia e dos meses sem jogos em 2020.

"Acho que a UEFA deve refletir sobre o fato de alargar a lista, em dois ou três jogadores. Seria bom. Não tivemos casos positivos, mas acho que, com o cansaço e tudo isso (covid-19), seria algo bom", afirmou o treinador dos Bleus.

O órgão europeu terá em 19 de abril sua próxima reunião do comitê executivo, na véspera de seu congresso. Em pauta, estão a reforma das competições de clubes para além de 2024, assim como a organização da Eurocopa.

Adiada por um ano em 2020, devido à pandemia, o torneio continental deve ser disputado em 12 cidades de 12 países, um desafio bastante complexo devido ao contexto atual e ao fato de a UEFA querer que todos os estádios tenham público.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.