Batizada de 'sistema suíço', esta reforma, que entraria em vigor a partir de 2024, teria o objetivo de barrar o projeto de criação de uma "superliga europeia" promovida por vários grandes clubes do continente, indicou o jornal.

No novo torneio, seria realizado um sorteio com cabeças de série, que daria a cada participante 10 jogos, cinco em casa e cinco fora, com nove rivais de diferentes níveis e os pontos somados serviriam para estabelecer uma classificação unificada com todas as equipes participantes.

Ao final desses 10 jogos, o torneio entraria na fase de oitavas de final, mas ao contrário do formato atual, não haveria sorteio, mas o 1º enfrentaria o 16º classificado, o 2º o 15º, e assim por diante. Os classificados entre a 17ª e 24ª posições disputariam a Liga Europa.

Esta fórmula teria a aprovação da Associação dos Clubes Europeus (ECA) e da Organização das Ligas Europeias, mas a Uefa vai apresentar oficialmente o projeto nas próximas duas semanas aos clubes europeus.

O vice-presidente da Uefa, o inglês David Gill, disse ao Times na semana passada que o sistema de classificação para este novo formato da Liga dos Campeões continuaria a baseada na classificação nos diferentes campeonatos nacionais, embora também se pudesse aprovar que os semifinalistas, ou mesmo os participantes das quartas de final, de uma edição garantissem vaga automaticamente para o ano seguinte.

Para Lars-Christer Olsson, presidente da Associação das Ligas Europeias essa fórmula é "muito mais realista" do que a proposta feita pelos grandes clubes em 2019 com uma primeira fase com 4 grupos com 8 times cada (atualmente são 8 grupos com 4 equipes) que levaria à disputa mínima de 14 partidas por equipe (ao invés das 6 atuais).

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.