A decisão, adotada no primeiro dia de uma cúpula europeia em Bruxelas, ocorre quatro meses depois do início de uma guerra da Rússia contra a Ucrânia.

O processo completo de adesão à UE, que atualmente conta com 27 países-membros, pode levar anos para ser efetivo.

"É um momento único e histórico nas relações entre Ucrânia e a UE", tuitou o presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, acrescentando que "o futuro da Ucrânia está no seio da UE".

Quanto à Geórgia, outra antiga república soviética que também pretende entrar na UE, deverá avançar em suas reformas para alcançar o estatuto de país candidato, decidiu a cúpula do bloco.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.