A vitória "não será fácil, mas acontecerá", declarou Kyrylo Budanov em uma entrevista ao canal britânico Sky News. O comandante militar se mostrou tranquilo e "otimista" a respeito da evolução do conflito.

"O ponto de inflexão acontecerá na segunda quinzena de agosto. A maioria das operações militares acabará até o fim do ano", previu.

Após a guerra, "vamos restabelecer o poder ucraniano em todos os territórios que perdemos, incluindo Donbass e Crimeia", disse.

As declarações foram feitas em um momento de intensificação dos combates na região do Donbass (leste), controlada em grande parte desde 2014 por separatistas pró-Rússia e onde Moscou concentra a ofensiva há algumas semanas, mas sem conquistar avanços significativos.

Budanov disse que o exército russo "está sofrendo grandes perdas em homens e armas", em particular porque a Ucrânia sabe "tudo", incluindo seus planos militares.

O ministério ucraniano da Defesa calcula que as tropas russas perderam mais de 26.000 homens, 199 aviões e quase 1.200 tanques desde o início da invasão em 24 de fevereiro. Não é possível confirmar os dados com fontes independentes.

Na entrevista, Budanov também afirmou que o presidente russo Vladimir Putin está "em estado físico e psicológico muito ruim". Ele declarou que o presidente russo está "muito enfermo" e sofre de "várias doenças ao mesmo tempo, incluindo câncer".

De acordo com o militar, a vitória ucraniana provocará uma "mudança de liderança na Rússia". Ele afirmou que um golpe de Estado para derrotar o presidente russo já está sendo preparado. "É impossível pará-los", disse.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.