"Vamos vencer essa eleição", afirmou Trump em Valdosta, Geórgia. "Ainda iremos vencê-la. Foi fraudada, é um acordo fixo", insistiu, sobre a vitória de seu adversário, Joe Biden.

Apesar do aumento dos casos de Covid-19 em todo o país, poucas máscaras foram vistas no evento e boa parte do público não seguia as medidas de distanciamento social.

Trump estava acompanhado da primeira-dama, Melania, que fez um breve discurso antes do presidente. Ele viajou à Geórgia para fazer campanha em favor de dois candidatos republicanos ao Senado que enfrentarão um segundo turno extremamente importante em 5 de janeiro, no qual será decidido que partido irá controlar a casa.

"Os eleitores da Geórgia irão determinar que partido dirigirá cada comitê, redigirá cada lei, controlará cada dólar do contribuinte", advertiu. "Muito simplesmente, vocês decidirão se seus filhos irão crescer em um país socialista ou em um país livre."

Alguns republicanos temem que as insistentes acusações de fraude feitas por Trump reduzam a participação de eleitores republicanos em janeiro, o que torna a participação do presidente uma espécie de aposta.

Trump deixou claro que não está pronto para ceder a Biden, nem para abandonar suas acusações de fraude, desmentidas por tribunais.

Biden venceu na Geórgia por pouco menos de 12.000 votos, tornando-se o primeiro candidato presidencial democrata desde Bill Clinton, em 1992, a conquistar o reduto republicano.

mjs/acb/lb

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.