"Só no mês de novembro, tivemos mais de seis milhões de novos casos reportados nas Américas, cerca de 30% de aumento com relação às cifras do fim de outubro", destacou a diretora da Opas, Carissa Etienne.

No final de outubro, o total de infecções registradas na América do Norte, do Sul e Central, assim como no Caribe, para toda a duração da pandemia era de 20,5 milhões, segundo dados da organização.

Já no fim de novembro, a soma havia subido em mais de seis milhões, para 26,9 milhões, o que inclui "recordes de casos diários registrados na América do Norte", acrescentou Etienne, em entrevista coletiva.

Nos Estados Unidos, onde os casos aumentaram para mais de 150 mil por dia no mês passado, Etienne afirmou que mais de 96 mil pessoas estão hospitalizadas - "o número mais alto desde o início da pandemia."

O país ainda teme um grande pico de casos do novo coronavírus após as amplas viagens durante o feriado de Ação de Graças.

O Canadá, que observa novos surtos em lares de idosos e instalações de vida assistida, também está vivendo novos aumentos, juntamente com Brasil e Cuba.

Na América Central, Etienne ressaltou o recente aumento de casos no Pana,á, com maior crescimento na comarca indígena Guna-Yala.

Ela disse que na América do Sul, o Brasil tem experimentado uma alta nos contágios em vários estados nas duas últimas semanas, diferentemente da Argentina, onde a tendência decrescente, iniciada no começo de novembro, se mantém.

No Caribe, ela destacou a situação em Cuba, onde foram reportados surtos nas províncias do leste e do centro da ilha.

"Esses casos contínuos de covid-19 são a razão pela qual devemos agir rapidamente, em especial em lugares onde o número de casos não foi controlado", defendeu Etienne.

À medida em que o mundo se aproxima de uma vacina, "devemos continuar contando com as medidas de saúde pública que todos podemos tomar e que ajudaram a conter surtos anteriores: contando com medidas de confinamento, praticando o distanciamento social e usando máscaras".

As autoridades da Opas reforçaram mais de uma vez durante a coletiva que, embora as notícias sobre uma vacina contra a covid-19 sejam animadoras, o imunizante não estará disponível imediatamente para a população em geral.

Etienne pediu uma "ação governamental vigorosa" para garantir testes e esforços para isolar e colocar os doentes em quarentena. "Temos as ferramentas à nossa disposição, vamos usá-las".

Quase 1,5 milhão de pessoas em todo o mundo morreram de coronavírus até as 15h desta quarta, horário de Brasília, de acordo com a contagem da AFP com base em fontes oficiais, enquanto mais de 64 milhões foram infectados.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.