Numa coletiva de imprensa, o jogador afirmou que chegou ao fim sua terceira passagem pelo clube da Argentina, alegando razões familiares, mas deixou aberta a possibilidade de ir para outra equipe, mas não de imediato.

"Minha carreira na Argentina acabou, eu sempre disse que o único clube que jogaria seria o Boca, sem dúvida", disse Tevez aos jornalistas na sede da equipe de Buenos Aires.

Dou "um passo para o lado porque não consigo continuar mentalmente, não sei o que vou fazer da minha vida, agora quero descansar e estar com a minha família", destacou o jogador.

"Pensei que este momento nunca chegaria, mas aqui estou para dizer que não irei continuar no clube, não é um adeus a esta camisa mas até logo porque estarei sempre, embora não como jogador", explicou.

O atacante também se referiu à morte de seu pai adotivo, Segundo Tevez, falecido em fevereiro passado aos 58 anos, vítima do covid-19.

"O Boca pede que você dê o máximo e eu não estou mentalmente em posição de dar, eu nem tive tempo para guardar luto pelo meu pai e já estava jogando novamente que isso que o Boca exige", concluiu Tevez antes de começar a chorar.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.