As autoridades locais explicaram que a colisão, ocorrida na sexta-feira (2) e que matou pelo menos 50 pessoas e feriu mais de 170, foi causada por um veículo de manutenção que, depois de escorregar por um barranco, colidiu com o trem que transportava cerca de 500 passageiros e que estava prestes a entrar em um túnel perto da cidade costeira de Hualien.

O motorista do veículo em questão que, segundo as autoridades ferroviárias, pode não ter puxado o freio de mão corretamente, foi libertado sob fiança após ser interrogado por juízes de instrução, que o proibiram de deixar Taiwan à espera de uma investigação mais aprofundada.

Cerca de 100 parentes das vítimas participaram de uma comovente cerimônia de oração taoísta na tarde deste sábado perto do local da colisão.

Lágrimas rolavam por seus rostos, com alguns improvisando memoriais, nos quais foram inscritos os nomes dos falecidos, enquanto outros cantavam os nomes das vítimas.

Um francês e um americano estão entre os estrangeiros mortos, segundo as autoridades locais, que informaram que a vítima mais jovem da tragédia tinha apenas 4 anos.

As equipes de resgate descreveram uma cena horrível quando entraram no túnel estreito e encontraram a frente do trem transformada em um emaranhado de metal.

"O vagão 8 foi o que sofreu os danos mais graves e foi onde ocorreu a maioria das mortes", declarou neste sábado à imprensa Chang Zi-chen, membro das equipes de resgate.

"Basicamente, mais da metade do vagão foi completamente destruída e os corpos terminaram empilhados uns sobre os outros", acrescentou.

Equipes especializadas passaram horas na sexta-feira extraindo os corpos dos mortos e sobreviventes, e as atenções se voltavam neste sábado para a remoção dos vagões que agora estão bloqueando metade da única linha ferroviária da costa oeste de Taiwan, uma popular região turística montanhosa.

O Ministério do Interior ordenou que as bandeiras ficassem a meio mastro durante três dias, enquanto a presidente da República, Tsai Ing-wen, visitou os feridos em hospitais de Hualien.

"As autoridades estão fazendo todos os esforços possíveis na esperança de minimizar o impacto do desastre para que os mortos possam descansar em paz e os feridos se recuperem rapidamente", disse ela a repórteres.

O acidente coincidiu com o início do feriado anual da limpeza dos túmulos, um feriado prolongado que enche as estradas e ferrovias do país.

Durante este período, os habitantes geralmente voltam às suas cidades natais para limpar os túmulos de seus parentes e fazer oferendas.

A linha férrea desta região de Taiwan costuma ser uma atração turística, pois percorre sua esplêndida e menos populosa costa oriental.

Através de vários túneis e pontes, serpenteia as montanhas e desfiladeiros espetaculares antes de descer pelo Vale Huadong.

O acidente da sexta-feira foi uma das piores catástrofes ferroviárias já registradas em Taiwan.

O último grande descarrilamento data de 2018, quando 18 pessoas morreram no extremo sul da mesma linha.

O maquinista daquele trem de oito vagões foi então acusado de homicídio culposo. Mais de 200 dos 366 passageiros ficaram feridos.

Este acidente foi o pior desde 1991, quando 30 passageiros morreram e 112 ficaram feridos na colisão de dois trens em Miaoli.

O jornal Apple Daily notou que o pior acidente na ilha foi em 1948 e deixou 64 mortos.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.