O homem, que estava foragido e foi identificado pela Polícia Civil do Mato Grosso como Alan Diego dos Santos, 32 anos, faz parte de um "trio de criminosos" que planejava "explodir uma caminhão-tanque na véspera do Natal" nos arredores do aeroporto da capital federal, indicou o Ministério da Justiça e Segurança Pública em comunicado.

A polícia da cidade de Comodoro, a 677 km de Cuiabá, fez "contato com pessoas próximas ao suspeito e, após as tratativas, nesta terça-feira (17), Alan Diego se apresentou" na delegacia, detalha o comunicado. O terceiro suspeito, Wellington Macedo e Souza, segue foragido.

O primeiro integrante preso do trio, George Washington de Oliveira Sousa, apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro, foi capturado horas depois de o motorista do caminhão-tanque encontrar o artefato, que não explodiu, apesar de ter sido acionado, e alertar autoridades.

Oliveira Souza afirmou que a bomba fazia parte de um plano para "iniciar o caos" e "impedir a instauração do comunismo no Brasil", segundo declarações divulgadas pela imprensa no momento da prisão.

Apoiadores de Bolsonaro bloquearam estradas e se manifestaram em frente aos quarteis do Exército em todo o país durante semanas após a vitória apertada de Lula no segundo turno das eleições presidenciais, em 30 de outubro.

A descoberta do artefato explosivo provocou a implementação de um forte esquema de segurança durante a posse de Lula, em 1º de janeiro. Uma semana depois, manifestantes que pediam a saída do petista do poder invadiram e vandalizaram as sedes dos Três Poderes, em Brasília.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.