"Não nos iludimos, nem tentamos dar a impressão de que haverá um avanço ou decisões históricas que levem a mudanças fundamentais", disse o chanceler russo Serguéi Lavrov, em coletiva de imprensa em Moscou.

Após uma reunião por videoconferência com responsáveis da aliança BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), Lavrov considerou "importante" o "simples fato de manter diálogos de alto nível entre as duas principais potências nucleares"

A cúpula russo-americana prevista em Genebra (Suíça) acontece em um contexto de muita tensão, e ambos os países diminuíram as expectativas de qualquer resultado significativo.

Desde que assumiu seu cargo, Biden impôs novas sanções contra Moscou pelo papel, na opinião de Washington, da Rússia no ciberataque de SolarWinds e na interferência nas eleições presidenciais de 2020.

Os Estados Unidos também criticaram Moscou pelo envenenamento e posterior prisão do opositor russo Alexei Nalvalny.

Biden se comprometeu no domingo a dizer ao seu homólogo russo que não permitirá que a Rússia "viole" os direitos humanos. "Não ficaremos de braços cruzados", afirmou.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.