O rapper Alicher Morgenshtern, de 23 anos, declarou em uma entrevista veiculada ontem no YouTube que "não entendia" por que se comemora na Rússia a vitória sobre os nazistas todo dia 9 de maio, quando isso "aconteceu há 76 anos".

As declarações causaram indignação entre ex-combatentes russos, que apresentaram uma denúncia ao comitê de investigação, alegando que o artista "insultou a memória histórica dos defensores da Pátria, dos que lutaram e morreram" entre 1941 e 1945, explica um comunicado do órgão investigativo.

O presidente do comitê, Alexander Bastrykin, ordenou uma investigação sobre as declarações do rapper para estabelecer se as mesmas constituem "uma violação da lei russa" sobre "o insulto público à memória dos defensores da Pátria" e a "reabilitação do nazismo", crimes que podem ser punidos com até três anos de prisão.

Nesta terça-feira (26), Alicher Morgenshtern se desculpou através de seu perfil no Instagram, ao assegurar que "não tinha a intenção de diminuir a importância do evento" e que sua frase "foi tirada de contexto".

As celebrações do 9 de maio são dedicadas aos cerca de 20 milhões de soviéticos mortos durante a Segunda Guerra Mundial, que na Rússia e em outras ex-repúblicas soviéticas é chamada de Grande Guerra Patriótica.

mp/thm/erl/es/rpr/mvv

GOOGLE

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.