Diante das atuais medalhistas de bronze, o Brasil não foi páreo para o forte volume de jogo das adversárias, que se mostraram superiores principalmente na segunda etapa.

"A gente conseguiu no início do jogo impor o nosso ritmo, mas depois a gente acabou perdendo um pouco o controle, deixando as canadenses dominarem. Estamos com uma proposta diferente e queremos aplicar. Ela não está 100% ainda, e a gente precisa ter mais jogos internacionais, jogos contra os grandes times para a gente afinar e ficar 100%", declarou a gaúcha Rachel Kochhann, jogadora da equipe brasileira, ao site do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

As brasileiras voltam a jogar nesta quinta-feira a partir das 05h00 (de Brasília) contra a seleção da França.

lca

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.