A lei, cujos defensores dizem tornar as eleições mais seguras ao proteger contra a fraude eleitoral, proíbe a votação drive-in e institui várias outras restrições ao horário de votação e à votação pelo correio.

A norma chega na esteira das alegações sem evidências de fraude na eleição presidencial de 2020 por apoiadores do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que perdeu a disputa.

Críticos do projeto disseram que tais restrições afetariam desproporcionalmente a capacidade de votar de minorias, especialmente os americanos negros, que tendem a apoiar os democratas.

O governador do Texas, Greg Abbott, afirmou nesta terça que planeja sancionar a medida.

Desde janeiro, pelo menos 18 estados americanos adotaram 30 leis que restringem a votação e cerca de outras 12 estão em tramitação, segundo o Centro Brennan para Justiça.

Cerca de 50 legisladores estaduais democratas do Texas saíram do estado em meados de julho, em um esforço para bloquear o projeto de lei, ao privar a Câmara dos Representantes do mínimo de membros necessários para votar o texto.

Porém, o governador convocou duas sessões legislativas especiais consecutivas e, em 19 de agosto, um número suficiente de democratas finalmente estava presente para alcançar o quórum, o que permitiu o início dos debates sobre o projeto antes de sua aprovação nesta terça.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.