A República Tcheca, com 10,7 milhões de habitantes, registrou na quarta-feira 18.004 novas infecções, enquanto no dia anterior foram 25.877.

No leste do país, os hospitais estão no limite de sua capacidade e alguns começaram a transferir os pacientes para outras regiões.

"A situação vai piorar nas próximas semanas e espera-se um pico em torno do Natal", declarou à imprensa o ministro da Saúde, Adam Vojtech.

Mas, diferentemente das vizinhas Áustria e Eslováquia, que impuseram confinamentos e toques de recolher, o governo tcheco de centro-esquerda - que será substituído por um gabinete de centro-direita nas próximas semanas - foi menos radical.

Restaurantes, boates e cassinos terão que fechar entre as 22h e as 05h a partir desta sexta-feira. Os mercados natalinos serão suspensos e o consumo de álcool em espaços públicos será proibido.

O governo também reduziu a cem o número de pessoas que podem comparecer a festas. Os eventos esportivos e culturais estão limitados ao máximo de mil pessoas.

Os tchecos não vacinados ou os que não se recuperaram recentemente da doença já são proibidos de entrar em restaurantes, cafés ou instalações esportivas. O país registrou mais de dois milhões de casos de covid-19 e mais de 32.500 mortes.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.