"Anatoly Bibilov assinou um decreto sobre a realização de um referendo na República da Ossétia do Sul", informou o gabinete do dirigente, mencionando a "aspiração histórica" dos habitantes da região de fazer parte da Federação da Rússia.

"Estamos voltando para casa", afirmou Bibilov em uma mensagem no aplicativo Telegram.

"É hora de nos unirmos de uma vez por todas. A Ossétia do Sul e a Rússia estarão juntas. É o início de uma história nova e grandiosa", acrescentou o dirigente em fim de mandato, que foi derrotado nas urnas no início deste mês.

A Rússia, por sua vez, manifestou sua expectativa de "continuidade" nas relações durante a gestão do próximo líder osseta, Alan Gagloev.

Ossétia do Sul e Geórgia entraram em guerra em 2008, depois que a Rússia reconheceu a independência dos separatistas, assim como havia feito anteriormente com a Abkházia, outra região georgiana.

A convocação do referendo osseta acontece no 79º dia da ofensiva russa contra a Ucrânia, que já deixou milhares de mortos e obrigou mais de 6 milhões de ucranianos a fugir do país.

As regiões separatistas ucranianas de Donetsk e Luhansk também manifestaram sua intenção de fazer parte da Federação da Rússia.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.