Até o momento, a empresa e as autoridades sauditas não confirmaram o ataque.

Os rebeldes atacaram uma instalação da Aramco em Jidá com um míssil do tipo Quds-2, na madrugada de quinta-feira, tuitou o porta-voz huthi Yahya Saree.

Eles já atacaram as instalações da Aramco no passado, o que expõe a vulnerabilidade da infraestrutura petroleira da Arábia Saudita.

Em novembro passado, os huthis atacaram uma fábrica da Aramco em Jidá com um míssil do tipo Quds-2. Conseguiram abrir um buraco em um tanque de óleo, o que causou uma explosão e incêndio.

Esta reivindicação surge depois que os Estados Unidos impuseram, na última terça-feira, sanções financeiras aos líderes rebeldes acusados de "orquestrar ataques" contra civis.

Os rebeldes intensificaram os ataques ao reino nas últimas semanas e, ao mesmo tempo, intensificam sua ofensiva para tomar Marib, o último reduto do governo no norte do Iêmen.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.