A Netflix atualizou as diretrizes da cultura da empresa para que esta área inclua “expressão artística”, avisando potenciais interessados em trabalhar para a empresa que poderão ser confrontados com projetos com os quais não concordem.

A empresa reportou recentemente a primeira queda no número de inscritos na plataforma da última década, o que levou a Netflix a tomar decisões de ‘cortar’ uma série de projetos e a apostar em conteúdo que possa ser mais do agrado dos seus membros.

A Netflix reconhece, todavia, que esta maior abrangência de conteúdo poderá levar alguns trabalhadores a ficarem desconfortáveis com a empresa - algo que fica claro nos novos termos introduzidos na área da cultura da empresa.

“Nem todo mundo gostará - ou concordará - com tudo o que temos no nosso serviço. Deixamos os espectadores decidirem o que é apropriado para eles, em vez de termos a Netflix censurando artistas ou outras vozes”, escreve a Netflix. “Dependendo do cargo, podem ter de trabalhar em títulos que entendem como sendo prejudiciais. Se considerar difícil apoiar a abrangência do nosso conteúdo, a Netflix pode não ser o melhor local para você”.

Ainda não se sabe em que tipo de conteúdos é que a Netflix pretende trabalhar nos próximos tempos mas, com esta novidade, é possível que a empresa venha a arriscar muito mais nos próximos projetos.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.