Trata-se do suposto "suicídio de 4" presos, disse o Serviço Nacional de Atenção Integral a Pessoas Adultas Privadas de Liberdade (SNAI) no Twitter.

Acrescentou, sem mais detalhes, que após a descoberta na madrugada fora ativados "protocolos de segurança" na penitenciária do Litoral, na cidade costeira de Guayaquil (sudoeste).

Por sua vez, a polícia afirmou que em uma operação na mesma prisão encontrou duas malas com munições.

A penitenciária do Litoral foi palco de uma das piores rebeliões carcerárias na região, quando gangues rivais se enfrentaram, deixando 119 detentos mortos, entre eles desmembrados e queimados.

No decorrer de 2021, as rebeliões carcerárias no Equador deixam 238 mortos, segundo dados oficiais. Em fevereiro em uma rebelião simultânea em quatro presídios, na qual morreram 79 detentos.

A crise carcerária levou o governo do presidente Guillermo Lasso a decretar um estado de exceção por 60 dias, o que lhe permitiu mobilizar 3.600 soldados e policiais para patrulhar os 65 presídios do país.

Os presídios equatorianos têm capacidade para 30.000 pessoas, mas são ocupados por 39.000, com uma superlotação de 30%.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.