A população de Khuzistão tem "o direito de falar, de se expressar, protestar e inclusive ir para as ruas no marco da regulamentação", declarou Rohani em um discurso transmitido pela televisão estatal.

Khuzistão, que abriga as principais usinas de petróleo do Irã, foi afetado desde o final de março por uma seca que provocou manifestações em várias cidades.

A declaração de Rohani ocorre depois que a imprensa e os funcionários iranianos informaram ao menos três mortes, entre elas um policial e um manifestante.

"É possível que uma pessoa mal intencionada possa abusar da situação, se misturar entre as pessoas e usar uma arma de fogo", afirmou Rohani, sem dar mais detalhes.

Os funcionários locais acusaram "oportunistas" de dispararem contra os manifestantes e as forças de ordem.

Nos últimos dias, veículos da mídia que transmitem em farsi no exterior informaram sobre manifestações reprimidas pelas forças de ordem, enquanto a imprensa local se mostrava inicialmente bastante silenciosa sobre o assunto.

Os vídeos publicados pela imprensa estrangeira e nas redes sociais, cuja autenticidade não pôde ser verificada pela AFP, mostram centenas de pessoas protestando, supervisionadas pela polícia anti-distúrbios.

No Khuzistão vive uma grande minoria árabe. A população se queixa regularmente de que as autoridades a ignoram.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.