A mudança no Executivo acontece após várias semanas de boatos sobre a saída de vários ministros criticados por seus desempenhos, em particular o chefe da diplomacia, Dominic Raab, após a gestão da retirada do Afeganistão.

Johnson "vai adotar uma equipe forte e unida para reconstruir melhor após a pandemia", afirmou a fonte, antes de explicar que o "primeiro-ministro anunciará os ministros durante a tarde".

As atenções estão voltadas para Raab e o ministro da Educação, Gavin Williamson, que nesta quarta-feira não compareceram à Câmara dos Comuns para a sessão semanal de perguntas ao chefe de Governo.

Raab, que substituiu Johnson em abril do ano passado quando o chefe de Governo permaneceu internado na UTI devido à covid-19, enfrenta muitas críticas por sua gestão da crise no Afeganistão.

Ele estava de férias na Grécia enquanto o governo acelerava a retirada de cidadão britânicos e funcionários afegãos diante do avanço dos talibãs e sua tomada de por em Cabul.

Williamson foi alvo de muitas reclamações por sua gestão do fechamento das escolas durante a pandemia, a organização dos exames e matrículas universitárias em plena crise de saúde.

A ministra do Comércio, Liz Truss, que negociou uma série de acordos desde a saída completa da União Europeia em janeiro, é citada como possível nome para suceder a Raab.

Também é mencionado Michael Gove como possível substituto da ministra do Interior, Priti Patel, uma defensora do Brexit sob forte pressão devido ao aumento da chegada de imigrantes irregulares nos últimos meses.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.