"Em uma das situações políticas e pessoais mais odiosas que já enfrentei, acredito que agi de forma correta e adequada e que, em geral, tomei a melhor decisão que podia", afirmou Sturgeon a uma comissão de inquérito do Parlamento escocês, em Edimburgo.

Salmond, 66 anos, - primeiro-ministro da Escócia de 2007 a 2014 e líder do Partido Nacionalista Escocês (SNP) durante mais de 20 anos - acusa Sturgeon - sua ex-protegida que o sucedeu nos dois cargos - de enganar deliberadamente o Parlamento regional buscando sua "detenção" por acusações de agressão sexual, incluindo tentativa de estupro, contra nove mulheres. Ele foi absolvido das acusações pela justiça no ano passado.

Este conflito abala o cenário político escocês a pouco mais de dois meses das legislativas regionais nas quais o SNP espera conquistar uma ampla vitória para pressionar Londres a organizar um novo referendo de autodeterminação.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.