Manuel Aguilar, prefeito de Zapotlán de Juárez, foi morto perto de sua casa por um grupo de pessoas a bordo de um veículo, segundo informações da imprensa local.

O MP informou que foi aberta "uma investigação pelo crime de homicídio" de Aguilar, do partido Movimiento Ciudadano.

O coordenador nacional desse partido político, Clemente Castañeda, exigiu que as autoridades "investiguem este crime ultrajante".

O governador de Hidalgo, Omar Fayat, censurou "energicamente" o homicídio de Aguilar e disse que já tinha expedido instruções para a realização das investigações correspondentes.

Com o assassinato de Aguilar, já são 13 prefeitos mortos até agora na gestão do presidente Andrés Manuel López Obrador, segundo a consultoria privada Etellekt.

Nos últimos 21 anos, 90 prefeitos foram assassinados em 20 dos 32 estados mexicanos, segundo apuração da consultoria.

No domingo passado, o México realizou eleições legislativas e locais após uma campanha eleitoral igualmente ofuscada pela violência que deixou 100 políticos assassinados, 36 deles candidatos ou pré-candidatos a prefeitos, segundo dados da Etellekt.

Mais de 300 mil pessoas foram assassinadas no México desde que o governo lançou uma polêmica operação militar antidrogas em dezembro de 2006, segundo dados oficiais que não esclarecem quantas das vítimas respondem ao combate às máfias.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.