O barril de Brent do Mar do Norte para entrega em janeiro subiu 1,90%, a 39,71 dólares em Londres.

Em Nova York, o barril de WTI para entrega em dezembro, fechou com ganhos de 2,31%, a 37,66 dólares.

Para Eugen Weinberg, analista do Commerzbank, o apetite pelo risco é a principal explicação para o aumento dos preços.

A hipótese de que a Opep+ (OPEP e seus aliados) "mantenha suas reduções de produção em seu nível atual para além do fim do ano" também sustentou os preços nesta terça, acrescentou.

Até o momento, a Opep+ prevê aumentar sua produção coletivamente em 1,9 milhão de barris diários em primeiro de janeiro, reduzindo desta forma os cortes decididos em abril.

Além disso, as eleições americanas influenciam o mercado. Vários analistas destacam que uma vitória do candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, favorito nas pesquisas, poderia fazer subir os preços a curto prazo, já que planeja limitar a exploração de petróleo de xisto, muito criticada por seu impacto ambiental.

Os americanos terminam de votar nesta terça para eleger entre o ex-vice-presidente Biden e o presidente Donald Trump, que disputa um segundo mandato.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.