Em Nova York, o barril de "light sweet" (WTI) para entrega em janeiro caiu 1,7%, fechando a 44,55 dólares.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega em fevereiro caiu 1% em seu primeiro dia como contrato de referência, fechando a 47,42 dólares.

Depois de mais de quatro horas do encontro na segunda-feira, os membros da Opep e seus aliados, entre eles a Rússia, retomaram nesta terça as conversações, mas na falta de uma posição comum, a cúpula voltou a ser estendida e recomeçará na quinta-feira.

Se o acordo de abril não for referendado, dois milhões de barris diários de petróleo cru voltarão ao mercado a partir de 1º de janeiro.

As posições estão divididas entre os países que querem manter os cortes atuais para além da data prevista e outros que consideram que estas reduções voluntárias de produção representam um esforço difícil demais para as receitas nacionais.

"A forte recuperação dos preços", da ordem de 25% em novembro, "se debilita atualmente, daí a importância dos resultados" destas reuniões, resumiram os analistas da Kepler.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.