"Os candidatos poderão escolher entre 'Jerusalém' ou 'Israel' como local de nascimento em seus documentos consulares", afirmou o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em comunicado na quinta-feira.

A opção padrão, no entanto, permanecerá "Jerusalém".

Donald Trump tomou muitas decisões favoráveis a Israel em seus quatro anos no cargo e anunciou esta nova medida simbólica a apenas cinco dias das eleições presidenciais nas quais ele busca um segundo mandato.

A princial medida foi o reconhecimento unilateral de Jerusalém como a capital do país, o que causou um rompimento com os palestinos, que aspiram a fazer da parte leste da cidade a capital de seu futuro estado.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.