"Temos tempo antes das próximas eleições, e as discussões sobre este tema desestabilizam a situação", disse ele à rede de televisão americana CNBC, em entrevista transmitida na quarta-feira à noite.

"A situação tem que permanecer tranquila, estável, para que os órgãos do Estado, as estruturas do Estado, trabalhem e olhem serenamente para o futuro", afirmou Putin, ressaltando que a Constituição dá a ele o direito de se candidatar mais uma vez.

Putin disse, no entanto, que ainda não tomou uma decisão a esse respeito. Com a reforma constitucional, o presidente russo pode tentar buscar a reeleição até 2036.

No poder desde 2000, Putin se orgulha de ter tirado a Rússia da crise econômica e política aberta após a desintegração da União Soviética. O preço desta estabilidade foi a concentração de poderes nas suas mãos e nas dos seus serviços de segurança.

As autoridades russas intensificaram a repressão contra a oposição e os veículos de comunicação independentes este ano. Proibiram, por exemplo, que o movimento do principal crítico do Kremlin, Alexei Navalny, pudesse se candidatar às eleições legislativas de setembro.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.