Em 2020, o sumo pontífice confiou a presos a leitura de textos sobre a Paixão de Cristo, de sua condenação a crucificação e sepultamento, mas este ano foi a vez das crianças e adolescentes de um grupo de escoteiros e uma paróquia romana que ajuda os mais vulneráveis.

Às 16h de Brasília (19H00 GMT), em frente a uma praça deserta, a cerimônia começou com a presença do papa, instalado em frente à basílica de São Pedro.

No total, estiveram presentes na cerimônia 200 pessoas entre religiosos, crianças e convidados que pareciam perdidos na imensidão solene da praça.

Ao longo das 14 estações que ilustram a Paixão de Cristo, encenadas ao redor do obelisco que fica no centro da praça, crianças contaram anedotas sobre sua vida cotidiana.

A pandemia que afeta o mundo há mais de um ano esteve muito presente.

Na nona estação, a que lembra a queda de Jesus, uma menina mencionou as mudanças que a covid provocou em sua vida.

"Desde o ano passado, não voltamos a visitar nossos avós (...) Sinto muita falta deles! (...) Às vezes me sinto sozinha. A escola está fechada", disse.

Cada estação foi ilustrada por desenhos feitos pelas crianças.

No domingo, o papa pronunciará a bênção "Urbi et Orbi" (à cidade de Roma e ao mundo), tradicional no Natal e na Páscoa.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.