Francisco, de 85 anos, irá a Edmonton, Quebec e Iqaluit, disse a Santa Sé, em uma viagem durante a qual se espera que ele se desculpe por décadas de violência contra meninos indígenas em internatos administrados pela Igreja Católica.

O pontífice também cancelou vários eventos nos últimos meses devido a dores no joelho, o que o obrigou a usar uma cadeira de rodas. Isso aumentou os rumores sobre sua saúde e sobre seu próprio futuro como chefe da Igreja Católica.

No entanto, a viagem ao Canadá é um passo importante para abordar a questão do abuso sexual de crianças por religiosos e o acobertamento destes há décadas.

"Peço perdão a Deus" e "me junto aos meus irmãos bispos canadenses para pedir desculpas", declarou o Sumo Pontífice em abril durante uma audiência no Vaticano diante de delegações dos Métis, Inuit e comunidades indígenas do Canadá.

A descoberta nos últimos meses de centenas de enterros anônimos de crianças abalou o Canadá e muitos sobreviventes aguardam um gesto firme do papa.

Entre o final do século XIX e a década de 1980, cerca de 150.000 crianças indígenas, mestiças e inuítes foram recrutadas à força em 139 internatos no Canadá, onde foram isoladas de suas famílias, sua língua e sua cultura. Milhares morreram, principalmente de desnutrição, doença ou negligência, no que o Comitê para a Verdade e Reconciliação chamou de "genocídio cultural" em 2015. Outros foram vítimas de abuso físico ou sexual.

Mais de 1.300 túmulos de crianças anônimas foram encontrados nos locais de antigos internatos no ano passado, e as buscas continuam em todo o país. ]

Francisco foi convidado pessoalmente pelos delegados inuítes para visitar sua região durante seus encontros com eles em março e abril no Vaticano.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.