Em uma sessão do Conselho de Segurança da ONU sobre Tigré, o vice-secretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, também pediu que se aumente "drasticamente" a ajuda à região do norte, diante do temor de uma fome extrema generalizada.

"Agora está muito claro para todos e é abertamente reconhecido pelos funcionários da administração governamental em Tigré que as forças de defesa eritreias estão operando em toda Tigré", disse Lowcock, segundo declarações vistas pela AFP.

"Incontáveis relatórios bem corroborados sugerem sua culpabilidade nas atrocidades", disse. "As forças de defesa eritreias devem deixar a Etiópia, e não devem lhes devem permitir ou autorizar dar continuidade à sua campanha de destruição antes que o façam".

A Anistia Internacional afirmou na semana passada que as tropas eritreias massacraram centenas de pessoas em um provável crime contra a humanidade.

A Eritreia desmentiu o informe e, assim como o governo de Adis Abeba, nega seu envolvimento.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.