"É fundamental que as organizações humanitárias possam fornecer ajuda às pessoas rapidamente, em virtude das regras universais de humanidade, neutralidade, imparcialidade e independência operacional", declarou em coletiva de imprensa.

"Infelizmente este acesso não se materializou até o momento", disse, acrescentando que já passou um mês desde que a organização teve acesso para socorrer cerca de 96.000 refugiados eritreus deslocados no Tigré.

Além disso, afirmou que a ACNUR recebeu indicações segundo as quais esses refugiados teriam sido transferidos para outra área do Tigré ou cruzado a fronteira com o Sudão, como já fizeram cerca de 49.000 etíopes, também fugindo dos combates.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.