O jogo, verdadeiro fenômeno social no país, está na mira dos pais e da mídia oficial há anos, que o acusa de ser muito viciante para os jovens.

O Centro de Pesquisa Infantil e Assistência Jurídica de Pequim anunciou na terça-feira nas redes sociais que havia entrado com uma ação legal em um tribunal da cidade.

A ONG considera que a idade mínima recomendada para jogar "Honor of Kings", doze anos, é muito baixa tendo em conta a natureza do jogo "que é repleto de conteúdos pornográficos, violentos e vulgares".

O centro denuncia a presença de heroínas virtuais com poses lascivas e "roupas que expõem excessivamente seios e nádegas".

De acordo com os denunciantes, "Honor of Kings" deixou muitas crianças "viciadas" e eles acusam a Tencent de não verificar rigorosamente a idade dos jogadores que se conectam e por quanto tempo estão jogando.

O tribunal não indicou que ação tomará após registrar a reclamação.

"Honor of Kings" é um jogo de batalha multiplayer online.

Em 2020, ultrapassou 100 milhões de usuários ativos diários, de acordo com o grupo Tencent, com sede em Shenzhen (sul da China).

No ano passado, a empresa intensificou suas medidas para evitar problemas de dependência entre jogadores menores de idade, limitando o tempo e o dinheiro que eles podem gastar no jogo.

Os menores de 18 anos podem jogar até três horas por dia durante as férias, mas no resto do tempo eles só podem jogar por uma hora e meia.

A Tencent também possui o aplicativo WeChat (mensagens, notícias, rede social, compras), que tem 1 bilhão de usuários na China.

ehl/mm/jvb/tjc/ap/mvv

Tencent

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.