Vários chefes de Estado africanos estarão presentes na cerimônia de posse de Bazoum, que é muito próximo do atual presidente Mahamadou Issoufou.

A transferência de poder entre Issoufou e Bazoum é a primeira entre dois presidentes eleitos democraticamente em um país com uma história marcada por golpes de Estado.

Bazoum, de 61 anos, foi eleito no segundo turno da eleição presidencial de 21 de fevereiro com mais de 55% dos votos contra o ex-presidente Mahamane Ousmane, que não reconheceu sua derrota e pediu "manifestações pacíficas".

A cerimônia de posse, a ser realizada no Centro Internacional de Conferências de Niamey, ocorre logo após "uma tentativa de golpe de Estado", segundo o governo.

Na madrugada de quarta-feira, soldados armados invadiram o bairro presidencial em Niamey, mas foram repelidos pela guarda presidencial após troca de tiros.

Várias "pessoas relacionadas a esta tentativa de golpe" foram "presas e outras estão sendo procuradas", disse o governo.

Bazoum também terá que enfrentar as ações de grupos terroristas leais à Al-Qaeda e ao Estado Islâmico (EI), além do grupo nigeriano Boko Haram.

Os ataques contra civis aumentaram desde o início do ano. Mais de 300 pessoas perderam a vida em três séries de ataques no oeste do país.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.