"Resta muito pouco tempo. Estamos em um momento difícil das negociações", afirmou à imprensa o porta-voz do primeiro-ministro Boris Johnson, ao advertir que Londres não aceitará "um acordo que não respeite os princípios fundamentais de sua soberania".

Downing Street insistiu novamente nos três aspectos que não abre mão após o fim do período de transição pós-Brexit, em 31 de dezembro, quando decidirá seu futuro de modo solitário: controlar as fronteiras do Reino Unido, regulamentar por conta própria os subsídios estatais a suas empresas e administrar a pesca em suas águas.

A UE, presidida no semestre pela Alemanha, deseja alcançar um acordo comercial com o Reino Unido, mas não a qualquer preço, afirmou nesta sexta-feira o porta-voz da chanceler alemã Angela Merkel.

"Sabemos que o tempo está acabando", disse Steffen Seibert. "A UE quer alcançar um acordo com o Reino Unido, mas não a qualquer preço (...) Cada um tem seus princípios, suas linhas vermelhas, mas apesar de tudo ainda há margem para obter um compromisso", completou.

O governo de Johnson seguirá adiante na próxima semana com a tramitação de duas novas leis que violam abertamente o acordo de divórcio assinado com a UE no que diz respeito ao comércio entre a Grã-Bretanha e a região britânica da Irlanda do Norte.

Os polêmicos projetos de lei de mercado interno e impostos "representam uma rede de segurança jurídica para proteger a integridade do mercado único britânico", disse o porta-voz de Johnson.

jit-acc/fp

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.