O dia foi marcado pelos imperativos impostos pela pandemia de covid-19, que levaram os candidatos a inovar para abordar seus eleitores em resposta às recomendações para evitar grandes comícios.

A maioria optou por transmissões nas redes sociais, algumas animadas com música, enquanto outros percorreram as ruas em veículos com mensagens por alto-falantes, segundo imagens da mídia local.

Mas em alguns estados, como Michoacán (leste), uma concentração significativa foi reportada sem medidas de distanciamento social.

Em Guerrero (sul), Félix Salgado Macedonio, do partido governista Morena e acusado de abusos sexuais, liderou uma grande marcha para protestar contra a retirada da sua candidatura a governador, que pretende recuperar nos tribunais.

Essa campanha visa a eleição de 6 de junho, quando 94,4 milhões de mexicanos são chamados a votar em 500 para assentos na Câmara de Deputados federal e quase 20.000 cargos estaduais, incluindo 15 dos 32 governadores.

Desde setembro passado, quando começaram as primárias partidárias, 15 pré-candidatos e um candidato foram assassinados, segundo a consultoria Etellekt.

Nesse período, outros cinquenta políticos também foram baleados, segundo o governo, que atribui esses fatos a traficantes de drogas e outros grupos criminosos.

Segundo analistas e autoridades, é nas pequenas comunidades onde há maior penetração do crime organizado, principalmente do narcotráfico.

Na eleição de 2018, 48 pré-candidatos e candidatos foram assassinados, segundo Etellekt.

A aposta do presidente de esquerda Andrés Manuel López Obrador e de seu partido Morena é preservar e até ampliar sua confortável maioria absoluta na Câmara de Deputados e, com seus aliados, aprovar reformas constitucionais, que exigem dois terços dos votos.

O Senado manterá sua composição atual até 2024 e, embora Morena também tenha maioria absoluta, ele é obrigado a negociar com os opositores eventuais reformas constitucionais.

O outrora hegemônico Partido Revolucionário Institucional (PRI) e a conservadora Ação Nacional (PAN) aliaram-se a duas organizações de esquerda com a expectativa de obter votos do partido no poder.

No entanto, uma média de pesquisas feitas pela Oraculos indica que Morena teria 42% dos votos para deputados federais, enquanto o PAN teria 17% e o PRI 16%.

Será a maior eleição da história do México, após modificações para que as eleições federais e estaduais convirjam.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.