A imprensa local publicou nesta segunda-feira uma carta do chefe da diplomacia marroquina, Nasser Bourita, ao chefe do governo, Saad-Eddine El Othmani, explicando a decisão.

"Solicita-se a todos os departamentos ministeriais (...) que suspendam todos os contatos, interações ou ações (...) tanto com a embaixada alemã em Marrocos como com as fundações políticas e agências de cooperação alemãs relacionadas", diz a mensagem oficial.

"O Ministério das Relações Exteriores também adotou a decisão de suspender todo contato ou gestão com a embaixada", continua carta, que evoca "profundos mal-entendidos" com a Alemanha a respeito de "questões" fundamentais para o Marrocos.

"O Marrocos deseja preservar sua relação com a Alemanha, mas é uma forma de alerta que expressa desconforto sobre vários assuntos", afirmou à AFP um alto funcionário do Ministério das Relações Exteriores.

"Não haverá contato até que sejam dadas respostas a diferentes questões colocadas", completou.

Entre os pontos críticos está a posição da Alemanha sobre o Saara Ocidental, que critica a decisão dos Estados Unidos de reconhecer a soberania marroquina no território disputado, mas também o afastamento de Rabat nas negociações sobre o futuro da Líbia em uma conferência organizada em Berlim em janeiro de 2020.

No início de dezembro, o chefe da diplomacia marroquina comemorou em um comunicado "a excelência da cooperação entre os dois países", após um encontro telefônico com o ministro alemão da Cooperação Econômica e de Desenvolvimento, Gerd Müller.

Berlim acaba de liberar 1,39 bilhão de euros em ajuda financeira, dos quais 202,6 milhões em doações e o restante em créditos vantajosos, para apoiar as reformas do sistema financeiro marroquino e ajuda de emergência para lutar contra a covid-19.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.