"A operação destruiu 11 veículos militares e matou mais de 150 elementos terroristas em Al Abdiya, ao sul de Marib", afirmou a coalizão, citada pela agência saudita de notícias SPA.

Os huthis iniciaram em fevereiro uma campanha para conquistar Marib, último reduto do governo no norte do Iêmen, e nas últimas semanas intensificaram a ofensiva. A coalizão respondeu com bombardeios aéreos durante os últimos quatro dia e matou, segundo Riad, mais de 500 insurgentes.

Os balanços, no entanto, não foram comprovados por fontes independentes.

O Iêmen foi devastado por um conflito que já dura sete anos entre os rebeldes huthis, apoiados pelo Irã, e o governo, respaldado pela coalizão militar liderada pela Arábia Saudita.

Os combates provocaram a fuga de dezenas de milhares de pessoas de Marib nos últimos meses, informou a ONU.

"De 1º de janeiro a 30 de setembro, a OIM (Organização Internacional para as Migrações) registrou mais de 55.000 pessoas deslocadas na região de Marib", nas áreas acessíveis para suas equipes de observação, explicaram fontes da instituição à AFP.

Apenas em setembro foram registrados 10.000 deslocados nesta província, segundo a OIM.

A ONU afirmou que os combates das últimas semanas agravaram a pior crise humanitária do mundo atualmente, que deixou a população à beira da fome.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.