"Todos estão sãos e salvos, mas alguns parecem em estado de hipotermia", informou a autoridade marítima francesa, alertando sobre os perigos de atravessar este canal do mar bastante movimentado e de difíceis condições meteorológicas.

Na costa francesa os migrantes foram recebidos por bombeiros e pela polícia migratória.

No último fim de semana, 64 migrantes, incluindo uma mulher grávida e várias crianças, foram resgatados no mar quando tentavam cruzar o canal rumo à Inglaterra.

A cada inverno, o número de migrantes presentes na região francesa de Calais com a esperança de chegar ao Reino Unido "diminui em algumas centenas de pessoas quando começa a fazer realmente frio", "mas, neste ano, muitas pessoas pensam que é absolutamente necessário fazer a travessia antes do Brexit", explicou Chloé Smidt, coordenadora da ONG Humam Rights Observers (HRO).

As tentativas de atravessar o Canal da Mancha em embarcações improvisadas e muitas vezes nadando se multiplicaram desde 2018.

No sábado, Paris e Londres assinaram um novo acordo para pôr fim à migração clandestina pelo mar. Este pacto prevê dobrar as patrulhas francesas a partir de 1º de dezembro com a presença de drônes e radares para localizar quem tentar a travessia ilegalmente.

Os conteúdos mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Brasil e fique por dentro.

Siga-nos na sua rede favorita.